Publicado por: lesbianornot | Agosto 24, 2008

Casa – onde estás?

Lembro-me do momento do nascimento da minha filha e como a decisão de a ter, me deu alento para pôr em ordem a minha casa, projecto tantas vezes adiado devido a relação tumultuosa que havia acabado. Além do mais, na época, o conceito de arrumação e de lar, não era convergente com o da minha ex companheira.

Decidi engravidar. Estava só. Porque não? Sou lésbica. Não sou estéril, tenho 37 anos, quase 38 – é agora ou nunca.

Planeei tudo como se fosse matemático engravidar. Informei-me sobre coisas até então alheias ao meu conhecimento – ciclos, ovulação, período fértil. Marquei data, para que os encontros com o dador pudessem ser encaixados em momentos de disponibilidade pessoal, e de modo a que me desse tempo para planear um pouco a data mais propícia à fertilização do óvulo, em função da análise dos sinais correspondentes ao meu período fértil (muco vaginal, tensão mamária, contagem do período entre ovulações) e de forma a que NÃO NASCESSE CARNEIRO – signo da ex e de todas as minhas amigas do peito, por isso, signo com o qual tenho um Karma😦; que a gravidez se desenrolasse sem ser no Verão e nascesse numa época com clima ameno.

Desde a decisão, Abril, até à inseminação, no início de Agosto, tive que encontrar e seleccionar dador. Tudo muito matemático. Tudo muito racional🙂

Por mais íncrivel que pareça, até este momento, correu tudo como quis. No dia 7 e 8 de Agosto: primeira e última tentativa, pois daí a uns dias, as alterações no meu organismo deram-me indicações que estava grávida…..e daí vêm muitas histórias que a seu tempo me poderá apetecer contar.

Preparei a minha casa para a receber.

Agora, uma vez terminado este namoro com esta pessoa  que resolveu me dar um NÃO, apesar dela sempre ter tido uma dificuldade PATOLÓGICA em dizer não a quem mereceria mais do que eu, retomei a organização do meu lar, para a minha filha.

Ela não diz que é a nossa casa – diz casa “noba” da mamã😦, mas diz casa da “T” (ex-companheira) e dela. Perdi muito ao não poder estar com ela para ter tempo para trabalhar ao fim de semana, ou para ter tempo para a namorada.

Quem vier de novo………..se vier, o que farei? Deixo-a conviver com essa pessoa para pouco tempo depois ela ir embora, ou prescindo dela?

Vou ter que encontrar uma solução e só encontro uma. De 15 em 15 dias poderei abdicar da minha filha para namorar aos fins de semana e a minha filha fica com a ex (a quem ela trata por mãe). De resto, paciência……..não voltarei a sacrificá-la  e não basta a casa estar linda, ela tem que a sentir como sendo dela. Por isso, o meu equilíbrio é crucial. Estive muito bem este fim de semana. Ora vejam:

http://www.ideiasamigas.com/imagens/iwillsurvive.mpg


Responses

  1. penso que nao deveras abdicar da tua filha, acho que deves levar as coisas nas calmas, se realmente encontrares outra pessoa, expores a tua situaçao, tentares saber qual a reaçao dessa pessoa quanto ao facto da tua filha e visto que para ela e uma mae…
    penso que quando encontrares outra pessoa… deixa as coisas correrem naturalente nao ten que apresentar logo ate por ela podera pensar(nao sei as vezes as pessoas pensam em coisas que nem nos passam pela cabeça) mas podera pensar que estas a forçar a situaçao, de a conheceres de lidar com ela, e se a outra pessoa gostar mesmo de ti vai compreender que tens que dar atençao a tua filha.. amores ha muitos, mas o amor de filha acho que é muito mais importante do que qualquer outra mulher, por filhas sao ate ao fim das nossas vidas nossas e as mulheres a qualquer momento nos dao um xuto…
    por isso e assim leva as coisas nas calmas , se a outra pessoa kiser conhecer leva as coisas nas calmas ate para tu a propria filha ir organizando a ideia que há outra pessoa…. pexo desculpa se estou a dizer algo errado mas é a minha optiniao…
    bjinhos… o carpe diem é o meu blog perguntaste quem era . é o teu msn tens uma anocas.. pois é sou eu..

  2. Sim, claro, tens razão, é verdade que a qualquer momento uma mulher nos pode dar um xuto e dizer como me disseram quando perguntei porque acabou: acabou como começou e sim, se não tivesses uma filha podia ser diferente!!😦
    De forma alguma quis que ela se assumisse como mãe ou qq coisa do género e deu o que deu! E a minha filha sempre esteve em primeiro, mas como achei que ela era boa pessoa e as duas gostavam uma da outra, por um lado facilitei os contactos, por outro, por vezes, abdiquei de estar com a minha filha para poder estar com a namorada…ahh és tu, carpe diem🙂 beijinhos e obrigada


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: