Publicado por: lesbianornot | Agosto 20, 2008

A atitude da amizade

 

Tenho pensado em como é difícil ir ganhando a sabedoria da não exigência. Com os amigos, sabemos ser tolerantes, pacientes e compreensivos e, nessa medida, damos muito mais de nós, porque temos noção de como a amizade tem que ser fomentada e acarinhada como uma flor sensível.

Nesse aspecto, acho, sinceramente, que sou uma boa amiga, e passei a sê-lo a partir do momento que comecei a ser muito mais tolerante em relação às pequenas falhas e erros dos mesmos – digo o que penso e depois passa, porque nem ponho em causa a amizade; perdoo logo e nunca mais falo no assunto.

 

Quando envolvidas numa relação sentimental, a tendência de quase toda a gente, é começar logo a cobrar e a exigir. Talvez por isso, a melhor relação que tive a esse nível, tenha sido com uma pessoa que considerava mais minha amiga do que amante e por isso mesmo terminou como relação sentimental e deu origem a uma amizade.

 

Penso que demorou um tempo para eu deixar de comparar a minha ex-companheira com a precedente com quem tinha vivido essa realidade.

 

Julgo não me enganar, se disser que só agora, passados quase 3 anos, também a outra pessoa envolvida, se desligou completamente da referência que nós apresentávamos em termos de capacidade de saber lidar com as diferenças, com as contrariedades, com a conciliação dos tempos e dos afazeres, com a divisão de tarefas e a resolução de conflitos.

 

Mas, pensando bem, e como já disse, …não era uma relação amorosa verdadeiramente completa, pois um dos elementos, eu, estava presente como amiga.

 

Serve, no entanto, como elemento de reflexão de mim para mim (a ver se repetindo até à exaustão, incorporo as lições):

 

– por um lado, sendo as expectativas menores, conseguimos dar mais;

– por outro lado, antes de agir, recriminar e exigir, numa relação a dois, pense bem se a outra pessoa não dá porque não quer ou porque não pode;

– dê quando gostar da outra pessoa, não se limite a pedir, dê;

– tenha espaço para si e faça o que tem a fazer, mas arranje tempo para os dois,

– não faça o outro sentir que é mais uma obrigação no meio dos restantes afazeres;

– dê prioridade relativa a tudo na vida, não considere tudo igualmente importante nem queira ser um bombeiro a apagar fogos;

 

Em resumo, se quer ser alguém que consegue manter uma relação de fundo, esteja preparada para estar constantemente a fazer concessões, a negociar, a tolerar, a ajudar, a demonstrar, a ter paciência….exactamente como faz numa relação de amizade!

 

Há palavras que nos beijam (Alexandre O´Neill)

 

Há palavras que nos beijam

Como se tivessem boca.

Palavras de amor, de esperança,

De imenso amor, de esperança louca.

 

Palavras nuas que beijas

Quando a noite perde o rosto;

Palavras que se recusam

Aos muros do teu desgosto.

 

De repente coloridas

Entre palavras sem cor,

Esperadas inesperadas

Como a poesia ou o amor.

 

(O nome de quem se ama

Letra a letra revelado

No mármore distraído

No papel abandonado)

 

Palavras que nos transportam

Aonde a noite é mais forte,

Ao silêncio dos amantes

Abraçados contra a morte.

 


Responses

  1. Essa é uma grande verdade e tomara que fossemos para quem está ao nosso lado como somos com os amigos! Que contrasenso! A nossa tolerância zero é com quem amamos! Poema lindo, linda!

  2. Pois é. Não conseguimos ser assim tão bons para quem está ao nosso lado. É assim ns relações e no trabalho, acho eu😦


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: