Publicado por: lesbianornot | Agosto 19, 2008

Ocitocina – Hormona do Apego

Esta é a hormona que nos víncula os afectos. É reforçada com o contacto físico, e segregada não só durante o processo de parto (provoca as contracções uterinas), mas também durante o desenvolvimento da relação mãe-filho/a e na estimulação da produção de leite (por isso, nas induções de parto utilizam esta substância e para ajudar o leite a “subir” também dão, por vezes, a inalar esta substância).

O que não se sabia, é que também está envolvida no desenvolvimento do amor, apego, afecto entre um casal. O contacto físico, reforça a sua segregação e, por conseguinte, vincula mais os dois elementos do casal (independentemente da orientação sexual).

A concentração de oxitocina aumenta 400% depois do orgasmo.

Aqui temos uma das hormonas do amor.

A segregação de ocitocina pelas narinas pode ajudar a reduzir a produção de cortisol (por isso, durante uma discussão, resfolegue :) e nunca discuta ao telefone ou por sms ou carta – assim não vai ter oportunidade de acalmar os ânimos com o seu afecto!).

O Cortisol é uma hormona corticosteróide produzido pela glândula supra-renal  que está envolvido na resposta ao stress  que aumenta a pressão arterial, o açúcar do sangue, além de suprimir o sistema imunitário podendo induzir o aparecimento de doenças auto-imunes.

Esta será a hormona do stress (a par da adrenalina).

Permanecendo em doses elevadas, ela é responsável pelo aparecimento de múltiplas doenças; inclusivé ela nos engorda!

Verdade: stress engorda!

Uma das técnicas recomendadas para controlar o nível de cortisol e logo, de stress, e evitar as somatizações e doenças auto-imunes nas pessoas que acusam níveis elevados desta hormona, é a auto-hipnotização.

Deixo aqui um link: http://stress.about.com/od/tensiontamers/p/profilehypnosis.htm

Durante o meu processo de parto, recorri a este “artifício”.

Tudo química, certo? Sem amor, ficamos stressados, viramo-nos contra nós. O que uma relação de amor pode fazer!

Mas não posso de deixar aqui este poema maravilhoso de Cícero (poeta Brasileiro):

Largar o cobertor, a cama, o/ medo, o terço, o quarto, largar/ toda a simbologia e religião; largar o espírito, largar a alma, abrir a/ porta principal e sair. Esta é/ a única vida e contém inimaginável/ beleza e dor. Já o sol,/ as cores da terra o/ ar azul – o céu do dia -/ mergulharam até a próxima aurora; a/ noite está radiante e Deus não/ existe nem faz falta. (…)”.

Lindo!

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: